//Replace read more link text $(".et_pb_post a.more-link").html(function () { return $(this).html().replace('read more', 'Continue Reading'); });

FESTAS PARA PULARES

Ouvir a História

Locução: Teresa Silva

História em Língua Gestual

Ler a História

Ela vestiu a sua melhor saia, a sua blusa mais bonita. E estava linda como uma noite de verão.

Ele não ficava atrás, quero dizer, tinha o seu melhor fato, a sua camisa mais bonita. E estava lindo como o luar de Junho. 

Nos dois, os sapatos tinham sido escolhidos com muito cuidado: iam dançar a noite toda.

Encontraram-se e ela notou que ele cheirava a sardinhas e ele notou que ela cheirava a pimentos, só depois perceberam que não era o cheiro deles, mas o que andava pelo ar. 

Noite de festa cheia de música e de petiscos.

As ruas cheias de gente e o ar cheio de alegria.

Arraial. Chama-se assim a festa popular desses dias de junho. 

Há quem diga que arraial é desordem e confusão, mas o que interessa isso quando se está assim tão feliz?

Ela sentiu umas picadas pelo corpo e saltitou. 

Ele sentiu umas picadas no corpo e saltitou com ela. 

Dançaram a noite toda e era uma espécie de namoro com acordeão, violas, gaitinhas, ferrinhos, tambores a acompanhá-los.  E até havia umas vozes desafinadas, diz-se de “cana rachada”, mas estavam tão felizes que nem davam por elas. Nem pelas vozes nem por nada. 

Toca a dançar, a bailar, a trocar os olhos em olhares apaixonados.

Ela nunca suspeitou que uma pulga tinha saltado do chão para dentro da sua camisa linda. Nem ele sabia que uma pulga largara um cão para andar à boleia da sua melhor vestimenta. 

Tinham uma tal alegria a dançar, que até as pulgas dançavam com eles. 

Ou era tudo isto uma coisa que eu imaginei aos vê-los pela rua fora, passando pelas marchas populares e pelo povo feliz e pelos enfeites das ruas que à vezes são assim, uma festa enorme para cada um de nós – e para todos nós, que adoramos música e saltinhos de pulga.

Alexandre Honrado

Comentários

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Vem Dançar e Cantar

Voltas que se dão

Voltas que se dão
Tantas voltas que se dão
Só para se ser feliz
Aquece o coração

Guerra e Paz

Guerra e Paz

Qual o valor da terra
Se dá flor para murchar
Qual o sabor da guerra
Quando a paz se ganha a matar

25 de Abril

Liberdade

A minha voz
Tem os sonhos a girar
A minha pele
É janela colorida

Qual?

Qual é a cor
Que trazes para mim
Será que tem princípio?
Será que tem fim?

Olha para mim

Olha para mim
Que estou aqui
P´ra te cantar
Sabes mesmo assim

Dar a volta ao mundo

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

Ninguém à janela

Quando olho para ti

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

História com açucar nos dentes

Que docinho

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

Não me chamem Bruxa

Ai isso é que é

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

A Velhinha Andarilha

Rodopia

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

Don`t copy text!