//Replace read more link text $(".et_pb_post a.more-link").html(function () { return $(this).html().replace('read more', 'Continue Reading'); });

O REINO DISTANTE

O Reino Distante

Ouvir a História

Locução: Alexandre Honrado

História em Língua Gestual

Ler a História

Acreditem, eu, quando era pequeno, adorava histórias com rainhas, com reis, com coroas na cabeça e reinos distantes. Eu não sabia bem o que era isso dos reinos distantes, mas achava que um ia poderia ir visitá-los com a possibilidade de cumprimentar o rei e dançar um bocadinho com a rainha. O rei era muito parecido com um boneco que eu tinha e que às vezes ia à guerra e outras conduzia um comboio e a rainha era tal e qual a boneca da minha irmã, aquela com tranças e vestido azul com estrelas amarelas.
Não sei se sabem mas agora estou grande e a viver em casa. Arranjo todos os jogos que posso para passar o tempo. Jogo à bola, com cuidado, porque a balinha pode ser a janela da sala e partir-se, jogos às adivinhas, jogos aqueles jogos que precisam de dados e tabuleiro e pedrinhas coloridas e essas coisas.
Um da destes estava à procura desses jogos e procurei tão bem que até procurei debaixo de uma cama, que tínhamos para as visitas quando tínhamos visitas, não é agora o caso. Estiquei-me, muito bem esticadinho e descobri debaixo dessa cama as coisas mais divertidas.  Já nem me lembrava que as tinha usado, e tanto, há anos atrás.
E de repente, saiu de lá, primeiro, o rei das minhas histórias, com um casaco de malha que era da minha mãe mas que encolheu ao ser lavado. E depois a rainha. Linda, com tranças e vestido azul com estrelas amarelas. E um bocadinho de pó. Fui logo contar a toda a gente: vejam, vejam, descobri onde fica o reino distante.
Nessa noite, até dormir com sonhos lindos.

Alexandre Honrado

Comentários

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Vem Dançar e Cantar

09 o príncipe orelhudo ILU e1599498235273

Olha para mim

Olha para mim
Que estou aqui
P´ra te cantar
Sabes mesmo assim

O Policarpo

Dar a volta ao mundo

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

Ninguém à janela

Quando olho para ti

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

História com açucar nos dentes

Que docinho

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

Não me chamem Bruxa

Ai isso é que é

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

A Velhinha Andarilha

Rodopia

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

Bernardo

Saber-te

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

Escurinha de Sol

O lugar do amor

Qual o lugar
Do amor aprisionado
Vem devagar
Há um sol iluminado

Esta casa é minha

O que é meu, o que é teu

O que é meu
O que é teu
Já não sei
Não sei bem

O Reino Distante

O Lugar das coisas

O lugar das coisas
Não é um lugar
Talvez seja o tempo
Que veio pra ficar

Don`t copy text!